sábado, 12 de janeiro de 2013

'Fringe' - 'The Boy Must Live' mostra como os Observers poderão ser derrotados! - por Marcos Doniseti!

'Fringe' - 'The Boy Must Live' mostra como os Observers poderão ser derrotados! - por Marcos Doniseti!

É possível que 'Fringe' tenha um final feliz? Sim... Leia e descubra o motivo disso.

(atualizado no dia 12/01/2013, às 17hs13)


'Fringe' se aproxima de seu final com um episódio espetacular, que foi 'The Boy Must Live'. 


Episódio deixa claro porque, afinal, tanto Peter, quanto Michael, eram garotos que precisavam viver!


Tempos atrás eu escrevi um texto (que publiquei aqui no blog) comparando 'Fringe' e 'X-Files' e nele eu defendi a idéia de que as duas séries apresentam uma visão crítica a respeito do desenvolvimento científico e tecnológico cada vez mais acelerado que a Humanidade vive atualmente. 

E defendi também a tese de que as soluções apresentadas, nas duas séries, para combater os problemas (ex: destruição ambiental) gerados por essas tecnologias cada vez mais avançadas eram diferentes. 

Essencialmente, 'X-Files' defendia a idéia de que esses problemas seriam resolvidos através da união entre o mundo material e o espiritual (vide episódio 'A Paciente X', da 5a. temporada). 

Em 'Fringe', a solução apresentada é que as emoções humanas irão resolver os problemas gerados pelo rápido avanço tecnológico. 

E qual é a habilidade que o Michael possui? Exatamente a de transferir às pessoas nas quais ele toca (Nina, Walter) sentimentos e emoções como o amor, a paixão, o altruísmo, a idéia de sacrifício. Foi depois que ele tocou Nina, que esta decidiu se matar para salvar o plano. Foi depois que ele tocou em Walter, que este destruiu com os aspectos do 'velho Walter' que ainjda existiam dentro dele. 

Assim, Michael é uma espécie de 'Nick Lane do Bem', que transfere sentimentos humanitários para as pessoas nas quais ele toca. 

Aliás, entendo que isso explica porque ele se entregou para Windmark. 

Se este for tocado por Michael, com certeza começará a passar por mudanças. 

Aliás, vocês notaram como o Windmark já estava bastante diferente neste episódio, mais bonzinho, mais sentimental, chegando até a dizer que ele se consome só de pensar em eliminar Michael da existência. Na residência de de September ele começou a tocar em plantas, objetos, abriu a Bíblia e ligou o toca-discos para ouvir Jazz... E o outro Observador ainda começou a bater com o pé no chão ,acompanhando o ritmo da música. 

E quando ele falou sobre eliminar Michael e os membros da Resistência (Walter, Peter, Olívia, Astrid) da existência, Windmark disse que isso o consumia internamente, o fazia sofrer, de fato, mas que ele não compreendia o que estava acontecendo com ele. 

Parece que Windmark está começando a ficar mais sentimental, mais... humano.


Neste episódio, Windmark mostrou que passou por mudanças, tornando-se mais sentimental e emotivo. Teria sido o seu código genético alterado por Etta? Talvez. 

Então, isso significa que as mudanças em Windmark e nos Observers já estavam se processando antes do Michael aparecer na história. Então, o que provocou essa mudança neles e que já vinha acontecendo antes mesmo do Michael aparecer na história? 

A minha resposta é: A Etta. 

Como assim?

Lembrem-se que quando a Etta morreu, Windmark se conectou à mente dela e percebeu o quanto ela amava Peter e Olívia. Depois, quando ele lutou com Peter-Observador ele contou essa história. 

Minha tese é simples: Essa conexão da mente de Windmark com a de Etta o alterou, talvez tenha modificado o seu código genético, introduzindo uma pequena dose de emoções e sentimentos humanitários nele. 

E foi por isso que Windmark ficou mais bonzinho e sentimental depois disso.

Para mim esse foi o propósito e o papel da Etta na trama de 'Fringe': Começar a contaminar os Observadores com emoções e sentimentos humanos. E depois o Michael viria e completaria o 'serviço', desestruturando por completo os Observadores. 

Então, se a Etta e o Michael 'contaminarem' os Observers com emoções e sentimentos humanos, o que irá acontecer? Eles ficarão muito mais parecidos com os seres humanos 'normais' e, revertendo totalmente à condição de humanos e, daí, talvez, será possível derrotá-los. 

Então, 'Fringe' estará terminando de acordo com aquela que é, para mim, a idéia central e mais importante da série, ou seja, a de que as emoções são a nossa força, como disse a Olívia naquela belíssima cena em que ela convenceu Peter a interromper o processo de transformação em Observer (o que estava próximo de se tornar irreversível). 


Etta pode ter desencadeado um processo de mudanças nos Observadores que poderá enfraquecê-los, permitindo que sejam derrotados. Seu papel nessa luta explicaria porque era tão importante que Peter-alt e Olívia ficassem juntos.

As emoções, em 'Fringe', são vistas como a solução para os graves problemas gerados para a Humanidade (tanto agora, como no futuro) pelo rápido desennvolvimento da Ciência e da Tecnologia. 

Desta maneira, em 'Fringe', fica clara a idéia de que são as emoções que podem nos impedir de construir um mundo cada vez pior e que gerará consequências catastróficas para o futuro da Humanidade. 

Este me parece ser o conceito central de 'Fringe' e caso a série termine dessa forma, então ela estará sendo coerente com tudo o que foi mostrado nestas cinco temporadas. 

Continuando: 

Se Etta e Michael serão os grandes responsáveis por derrotar os Observers, isso explica porque a frase 'The Boy Must Live' aplica-se tanto a Peter, quanto a Michael. 

Afinal, sem Peter-alt e a Olívia cortexiphada juntos, a Etta não existiria. 

Foi por isso que o September falou que o Peter era importante e que havia tido um filho (Henry) com a Olívia errada, a do Universo Vermelho. E isso explica porque September se recusou a apagar Peter da Timeline Reescrita. Peter precisava gerar uma filha com a Olívia certa, a cortexiphada, que foi Etta. 

Obs: Além disso, a união de Peter-alt e de Olívia cortexiphada poderia contribuir para que os dois Universos colaborassem entre si, pois eles dariam origem a uma Humanidade comum e que ainda seria capaz de viver e de expandir pelo Multiverso. 

E essa Humanidade poderia ser suficientemente poderosa e evoluída (nos planos científico e tecnológico) a ponto de conseguir barrar a conquista deste Multiverso por Observadores desprovidos de emoções e que viriam do futuro. 

Tudo isso acontece porque, para derrotar os Observers, a Humanidade precisaria de uma Etta, que seria capaz de viver no Multiverso e que ainda tinha o cortexiphan em seu organismo. Isso fez com que Etta já tenha nascido com certas habilidades, como a de bloquear a leitura da sua mente pelos Observers, transferir emoções e sentimentos a seres desprovidos dos mesmos, etc. 

Um Henry, filho de Peter-alt e de Olívia-alt jamais faria isso, porque esta nunca foi cortexiphada e também porque o filho deles seria gerado por duas pessoas do mesmo Universo. Assim, eles não teriam como gerar uma descendência capaz de viver e se expandir pelo Multiverso, como aconteceria com os filhos e descendentes de Peter-alt e de Olívia cortexiphada. E sua descendência também não teria nenhum poder ou habilidade especial, ao contrário do que acontecia com Etta. 

E sem o Michael, o processo de contaminar os Observers com sentimentos e emoções humanos não se completaria. 

Logo, Michael também precisava viver para poder fazer o mesmo que Etta, completando a contaminação dos Observers com emoções e sentimentos humanos que ela havia iniciado, mas que não pôde completar porque foi morta por Windmark. 

Essa importância de Michael para os planos de September é que fez com que este levasse Michael para o passado da Terra (tal como eu já havia afirmado, em textos anteriores que aconteceria) a fim de mantê-lo a salvo e, tambem, para ajudar a Resistência a derrotar os Observers quando estes conquistassem a Terra do século XXI. 


Michael representa uma séria ameaça para Windmark, pois transfere emoções e sentimentos para os Observadores. 

Aliás, não são muitas as 'previsões' que os fãs (incluindo eu mesmo) conseguem acertar em 'Fringe', mas essa foi no alvo. 

Agora, porque September quer enviar Michael e Walter para convencer o cientista norueguês (seria William Bell? Não duvido...) a não criar os Observers lá em 2167? 

Porque deste jeito os Observadores não existiriam e, logo, nunca voltariam ao passado da Terra para destruí-la, certo? Sim. Mas, daí September também não existiria. 

Obs: E como vimos que September já é um ser humano normal, talvez tudo isso já tenha acontecido anteriormente na história humana, mas não deu certo.

Assim, os Observers foram criados, September atrapalhou Walternativo na cura de Peter-alt, Walter atravessou o Universo para curar Peter-alt, September salvou os dois e tudo começou novamente, até chegarmos à situação que a Humanidade enfrenta atualmente, de tentar derrotar novamente os Observers. 

Então, pode ser que esta tentativa de derrotar e impedir o surgimento dos Observers não seja a primeira. Pode ser que ela já tenha sido tentada anteriormente e não deu certo.

Então, se o plano de September der certo, então ele mesmo não existiria, bem como os demais Observadores. E sem a existência de September, Walternativo teria curado Peter-alt, que não seria sequestrado por Walter. 

Mas Walter e Bell acabariam, em algum momento, abrindo um portal entre os Universos do mesmo jeito, pois eram cientistas megalomaníacos, arrogantes, ambiciosos e que queriam ser como Deuses, certo? 

Mas talvez isso não fosse visto como um ato de guerra (como foi o sequestro de Peter-alt por Walter) pelos habitantes do Universo Paralelo, mas apenas como fruto de  mera curiosidade científica. Vendo o estágio de desenvolvimento que o Universo Azul já havia atingido, o Universo Vermelho iria querer colaborar com seu Universo-Irmão para também poder se desenvolver.

Com isso, a guerra entre eles jamais aconteceria e as "Divisões Fringe' também não existiriam, pelo menos não no formato em que elas existiram nestas duas Timelines (a Original e a Reescrita). 


September e Walter criaram grande parte dos problemas que vimos na série, mas também criaram o plano para derrotar os Observers. 

Sem guerra, os Universos viveriam em estado de Equilíbrio e não haveria Paradoxos (como é o Peter nesta Timeline Reescrita). 

Assim, a Linha Temporal Original não seria corrompida por um Observador chamado September, pois este também não existiria. 

Sem isso, Peter-alt e Olívia cortexiphada poderiam se conhecer, pois entendo que estão destinados a isso, em todos os Universos, por todo o Multiverso. 

Obs: Vocês já notaram como todos os Peters e todas as Olívias, não importa qual seja a Timeline ou o Universo, acabam se apaixonando? E se esse for o Destino deles, em todos os Universos e Timelines? Lembro que quando o Peter tentava evitar de entrar na Máquina, pois não queria ser nenhum destruidor de Universos, o Bell (que ocupava a mente da Olívia naquele momento) disse que quanto mais se foge do Destino, aí é que ele o acaba encontrando. E foi o que aconteceu com o Peter, naquele momento. Ele não teve como fugir do seu Destino e entrou na Máquina. 

Porém, Peter e Olívia não precisariam ir até o hospital St.Claire's para pedir a ajuda de Walter para ajudar naquele caso que estava ligado ao 'Padrão' e que, como vimos, se relacionava com a guerra entre os Universos. 

Afinal, sem guerra, não haveria Padrão. E sem guerra os Universos poderiam colaborar entre si, ajudando-se mutuamente, em todos os aspectos (científico, tecnológico, alimentos, etc).

Se bem que, aqui, Peter e Olívia até poderiam fazer isso - tirar Walter do hospital - mas por outros motivos (humanitários, sentimentais, emotivos). 

Peter poderia ser convencido por Olívia (como provavelmente seria) a tirar o pai do hospital e, junto com ela, cuidariam dele (talvez com a ajuda da Asterix, digo, Astrid...) e eles viveriam juntos e felizes para sempre, tal como sempre desejaram.

Mas como sempre existem diferenças entre as Timelines (tal como acontece entre a Original e a Reescrita), talvez nesta nova Timeline (onde não existiriam Observadores) o incêndio e a morte de Carla Warren (que gerou a prisão de Walter por 17 anos no St.Claire's) talvez nunca tivesse acontecido. 

Então, não haveria necessidade alguma de tirá-lo de hospital nenhum. Walter seria um cientista ambicioso, talentoso e não esse arrogante e prepotente que vimos na Timeline Original. Sua feliz convivência com Peter e Olívia o manteriam dentro de certos limites. 

Além disso, como o Peter-alt seria salvo pelo Walternate e os Universos colaborariam entre si, não seria absurdo imaginar que o próprio Walternate curasse o Peter do Universo Azul. Este não morreria, Walter não entraria em crise em função disso, sua esposa (Elizabeth) não cometeria suicídio e estes seriam mais  alguns motivos para que Walter fosse um cientista são, feliz e realizado como pessoa. 

Daí, o Walter arrogante e prepotente que vimos na Timeline Original nunca teria existido nesta nova Timeline, sendo substituído por um Walter feliz. 

E para ajudar ainda mais a felicidade de Walter, Peter e Olívia teriam uma filha chamada Etta (também cortexiphada...), que seria uma espécie de 'tábua de salvação' contra possíveis Observadores conquistadores, caso estes fossem novamente inventados por outros cientistas malucos do século 22 ou de qualquer outro século, pois ela, Olívia e as outras crianças cortexiphadas de Bell e Walter seria poderiam vir a ser utilizadas para proteger o planeta destes novos Observadores invasores e não para fazer guerra contra outro Universo. 

Com isso, esta Humanidade desta nova Timeline estaria protegida contra os seus inimigos, podendo se desenvolver plena e livremente, sem restrições. 

Então, é perfeitamente possível que tenhamos um final totalmente feliz em 'Fringe' sim. 

Será esse o final de 'Fringe'? Não sei. Mas ele é possível, sim. 

Aliás, infinitos finais são possíveis. Afinal, como disse o September: 'Existem incontáveis possíveis futuros para a Humanidade'. 

Apenas espero que esse final que apresentei aqui tenha sido esse o escolhido por Joel Wyman e Jeff Pinkner. Dificilmente isso acontecerá. Mas é assim que eu gostaria que a série terminasse.  


Obs1: Como os Observers poderão vir a ser derrotados? Entendo que isso acontecerá de várias maneiras, que são:

A) O uso das emoções, que os Observers eliminaram da sua constituição cerebral. Como ficou claro neste episódio, Windmark e alguns Observers já mudaram o seu comportamento, passando a agir sob a influência de sentimentos e de emoções.

Desde que se conectou à mente de Etta, o comportamento de Windmark começou  a mudar, de forma gradual, manifestando sentimentos de vingança, começando a gostar de plantas e de música... 

O próprio Comandante dos Observers percebeu que havia algo errado com Windmark e o questionou sobre isso, dizendo que este se encontrava inquieto. 

Assim, não foi à toa que o Windmark disse para o Comandante que ele não conseguia compreender o que estava acontecendo com ele mesmo. Windmark está mudando, de forma gradual, mas está. Ele está ficando mais humano.

Isso talvez signifique que o organismo dele, no cérebro e talvez em seu código genético, também esteja se modificando. Se isso prosseguir e se alastrar entre os Observadores, estes serão derrotados e extintos, pelo menos nesta versão desprovida de sentimentos e de emoções.

O vírus das emoções poderá, assim, ser fatal para os Observers. caso se alastre entre os mesmos. 

E parece que este vírus já está se alastrando, como demonstra o comportamento do Observador que foi junto com Windmark ao apartamento de September e que começou a bater o pé para acompanhar o ritmo da música. Comparem isso com o que Windmark falou para Walter sobre o que pensava a respeito de Música quando o interrogou. 

B) Além disso, vimos também que os Observers precisaram modificar a atmosfera da Terra do século XXI para poder viver na mesma. Se a Resistência conseguir modificar a atmosfera, isso poderá tornar tudo muito mais difícil para eles.

C) E também não podemos esquecer que Walter mostrou que possui muitas armas (biológicas, principalmente) guardadas em sua 'Bat-Caverna', lá no laboratório. Uma delas, inclusive, ele já usou contra os Observers, quando foram até o Metrô. Foi aquela toxina que fecha os orifícios do corpo e que foi inventada pelo Dr. Nicholas Boone para a ZFT (episódio 'Midnight' - 1X18). 

Então, essa combinação de elementos poderá acabar tornando possível a vitória sobre os Observers.  

A biotoxina inventada pelo Dr. Nicholas Boone já foi usada contra os Observers  nesta última temporada. Isso talvez venha a acontecer novamente, transformando-se numa das armas que poderá vir a ser usada para derrotá-los.


Links:

Para fazer o download dos episódios:

http://zonafringe.blogspot.com.br/2013/01/descargas-y-comentarios-del-5x11-boy.html

Legenda em português finalizada:

http://www.addic7ed.com/serie/Fringe/5/11/the_boy_must_live


SPOILERS

SPOILERS

SPOILERS

SPOILERS

SPOILERS

SPOILERS



Obs2: E se o 'cientista norueguês' que criou os Observers lá em 2167 for o William Bell, que pode ter mudado o nome para 'Bellson' ou algo assim? 

Afinal, não foi o Bell que inventou aquela arma que matava os Observers e que a Jéssica usou contra o September? Ele não sabia como prender os Observers, usando as runas? 

E se o Bell viajou para 2167, criou os Observers com menos emoções e foi o responsável por eliminar os Observers originais, que eram do grupo de September? 

Sei que não ficarei nenhum pouco surpreso se ele aparecer nos episódios finais. 

Obs3: O número do apartamento do September é 211. E o episódio 2X11 foi o 'Unearthed', que signica algo que foi 'descoberto, desenterrado'. 

E neste episódio (5X11) descobre-se que September está vivo e também o local onde ele mora. Também descobrimos a habilidade de Michael de transferir emoções aos outros, incluindo os Observers. Outro significado para isso é que, neste episódio, também descobrimos que Windmark e alguns Observers estão adquirindo emoções e sentimentos que antes não possuíam, o que poderá ser fatal para eles. Além disso, descobrimos, afinal, qual é o Plano de September para derrotar Windmark. E Walter descobriu e revelou que o 'velho Walter' já está morto dentro dele. 

Logo, este foi um episódio sobre descobertas.  Esses produtores-roteiristas de 'Fringe'... 

Obs4: Outra conexão entre 'Unearthed' e 'The Boy Must Live' é que o primeiro é o episódio número 11 do 2o. ano de 'Fringe' e 'The Boy Must Live' é o episódio número 11 da 5a. temporada. 

Pode isso, Arnaldo?

Obs5: September disse que foi punido pelos demais Observadores (December e cia.) por ter interferido demais nos acontecimentos e que, daí, foi retirado dele a tecnologia que lhe dava o poder de viajar pelo Tempo-Espaço e ele retornou à condição humana. 

Isso mostra que December não aceitava essas interferências de September e é por isso que este vivia sendo cobrado para corrigir os erros que cometia. A questão é que não eram 'erros', mas tudo era parte de um plano para liquidar com os Observadores desprovidos de emoções de Windmark. 

E tal fato (a reversão de September à condição humana, deixando de ser um Observer) também demonstra que se isso foi feito com ele, então também pode acontecer o mesmo com os demais Observadores.

Obs6: Depois que conversou com Walter sobre qual era o plano para derrotar os Observers, September entregou uma tecnologia que usa a 'faixa de Mobius' para se fazer uma viagem no Espaço-Tempo. Procurei na Net informação a respeito da tal 'Faixa de Mobius' e descobri um blog que tem uma explicação interessante e mais simples sobre a mesma. 

O link é esse aqui: http://faixademobius.blogspot.com.br/2009/04/blog-post.html


Obs7: Quando saem do carro para tentar furar o cerco montado pelos Legalistas, Peter passa num local onde há alguns cartazes de 'Etta Resist' afixado no muro.

Obs8: Se vocês assistirem a Promo dos episódios 5X12 e 5X13 (já postada neste blog) e quiserem saber qual foi o resultado da batalha entre a Resistência e os Observers, então façam uma pausa na imagem aos 24 segundos. 

Daí, será possível perceber que temos gigantescas imagens nos edifícios em que aparecem Olívia, Peter e Walter.


Nesta imagem, dos episódios finais (5X12 e 5X13), na imagem do centro vemos os novos manda-chuvas do planeta Terra: Walter, Peter e Olívia. E do lado direito vemos toda a Divisão Fringe reunida. Só faltou a Gene...
Quem aparece na imagem são Peter, Olívia e o terceiro está um pouco difícil de identificar, mas é o Walter, FELIZMENTE!

E olhem as frases e expressões que aparecem na imagem: 'Proteja-se', 'Informe ao Ministério', 'Um Novo Dia que Começa'. Parece que os Observers sifu, né? E Peter, Walter e Olívia se tornaram os novos governantes do pedaço. 

Resta apenas saber como eles fizeram para derrotar os Observers. Aposto no uso das emoções para destruir com os Observers. Mas também pode ter sido feita alguma mudança na atmosfera da Terra ou ainda terem usado armas biológicas que o Walter tem guardado em sua 'Bat-Caverna', lá no laboratório, como é o caso daquela toxina que fecha os orifícios (que foi feita pelo Dr. Nicholas Boone para a ZFT... isso foi mostrado no episódio 'Midnight' - 1X18) e que já foi usada contra os Observers para que eles (Peter, Olívia) pudessem invadir o metrô.

Será que nesta nova realidade o Walter virou Ministro da Ciência e se tornou o novo manda-chuva do pedaço? Não duvido...

Vejam que na outra imagem, do lado direito, vemos Astrid, Broyles, Walter, Olívia, Peter, Nina e Lincoln. Toda a 'Fringe Division' sobrevivente reunida. Só faltou a Gene, coitada.




10 comentários:

joao pedro disse...

Tens razao em relaçao ao fato de que ele esta a ficar mais emotivo, mas ele nao sofre por querer eliminar-los ele diz que o fato de os querer eliminar o consome, ou seja, ele nao sofre ele quer é acabar com a raça humana.

Marcos Doniseti disse...

João Pedro, fiz uma pequena mudança no meu texto para explicar melhor o que eu estava querendo transmitir e o mesmo ficou assim:

A) O uso das emoções, que os Observers eliminaram da sua constituição cerebral. Como ficou claro neste episódio, Windmark e alguns Observers já mudaram o seu comportamento, passando a agir sob a influência de sentimentos e de emoções.

Desde que se conectou à mente de Etta, o comportamento de Windmark começou a mudar, de forma gradual, manifestando sentimentos de vingança, começando a gostar de plantas e de música...

O próprio Comandante dos Observers percebeu que havia algo errado com Windmark e o questionou sobre isso, dizendo que este se encontrava inquieto.

Assim, não foi à toa que o Windmark disse para o Comandante que ele não conseguia compreender o que estava acontecendo com ele mesmo. Windmark está mudando, de forma gradual, mas está. Ele está ficando mais humano.

Isso talvez signifique que o organismo dele, no cérebro e talvez em seu código genético, também esteja se modificando. Se isso prosseguir e se alastrar entre os Observadores, estes serão derrotados e extintos, pelo menos nesta versão desprovida de sentimentos e de emoções.

O 'vírus das emoções' poderá, assim, ser fatal para os Observers. caso se alastre entre os mesmos.

E parece que este 'vírus' já está se alastrando, como demonstra o comportamento do Observador que foi junto com Windmark ao apartamento de September e que começou a bater o pé para acompanhar o ritmo da música.

Comparem isso com o que Windmark falou para Walter sobre o que pensava a respeito de Música quando o interrogou.

Marcos Doniseti disse...

João Pedro,

Vi agora que as legendas do episódio, e que eram em espanhol, não estavam muito boas, e acabaram me induzindo a interpretar os fatos de outra maneira.

Daí, fui ver o trecho deste episódio com outras legendas, já em português, e percebi o que havia me levado a me equivocar. Daí, já corrigi o equívoco no texto.

Obrigado pela sua colaboração e volte sempre ao blog.

rafael disse...

Parece que o plano A deles é levar o garoto para o futuro e mostrar aos cientistas que criaram os observadores que a inteligência pode ser aliada a emoção, afinal como descobrimos nesse episódio, estes mesmos cientistas queriam eliminar as outras emoções, pois estas atrapalhavam no desenvolvimento da inteligência.

rafael disse...

Tenho a sensação de que aquele é Walternate... só ver pelo nome da organização... E outra coisa, fringe vai nos surpreender com esse final. Quem diria que veríamos o lado B novamente?! Eu, pelo menos fui surpreendido ^^

Marcos Doniseti disse...

Ele me parece muito jovem para ser o Walternate.

O Walternate não ficou preso no âmbar, como aconteceu com o Walter, e daí ele deve estar com uma aparência mais velha do que este.

E o plano A deles é esse mesmo que você citou. Mas penso que teremos mais coisas envolvidas, tal como um Plano B.

Por exemplo:

Digamos que o Walter e o Michael não consigam convencer o cientista a mudar os seus planos de criar os Observers e voltem para 2036.

Daí, somente uma guerra contra os Observers, em 2036 mesmo, poderia derrotá-los.

E a Resistência poderia usar várias armas biológicas que o Walter tem na sua Bat-Caverna, no laboratório, e ainda poderia tentar mudar a atmosfera da Terra.

Outra possivilidade: O Michael e o Walter poderiam voltar no Tempo novamente, para um momento anterior à invasão dos Observers e mudar a atmosfera do planeta, tornando-a venenosa para eles.

Tenho sérias dúvidas que Walter conseguirá convencer o cientista a mudar seu plano de criar os Observers.

Mas há várias possibilidades para derrotá-los e entendo que algum tipo de armamento será usado.

rafael disse...

Exatamente, por isso creio que fringe irá nos surpreender, existem infinitas possibilidades de acontecer qualquer coisa...

1)O plano A pode falhar, ocasionando a recorrerem a outros planos, inclusive como já vimos na promo, haverá com certeza uma guerra...

2)Walter pode fazer o mesmo que Peter no terceiro ano, e vai ao futuro, vendo que cometeu um erro, regressa ao passado, achando uma outra solução...

(E a tulipa branca hein?! Onde será que Walter colocou ela? Acredito que ele tenha colocado a 'Tulipa Branca' em algum lugar do tempo, para relembrá-lo de que existe um Deus. Pois ele sempre faz isso com ele mesmo não é?! Vemos em White Tulip, que ele precisava se perdoar, então "do nada" ele recebe um sinal, e, se pensarmos, o sinal veio dele mesmo, de suas escolhas em um outra linha temporal. Isso quer dizer que ele mesmo é o seu Deus...)

3)Os universos podem se unir novamente para combater os observadores no presente mesmo, desenvolvendo as tecnologias necessárias para o confronto o que não exigiria um sacrifício de Walter, porém não devemos desconsiderar que ele possa morrer no confronto...

Enfim, em fringe "possibility is everything".

Anônimo disse...

Uma coisa que não entendi, o Walter levando o menino para o futuro daquela realidade onde os observadores imperam, neste futuro a humanidade não estaria dizimada? O futuro a partir daquela realidade será diferente, eles já possuem tecnologia, não precisaria de um cientista criar os observadores.

Marcos Doniseti disse...

Walter e Michael foram para um futuro no qual a Humanidade ainda não havia sido devastada e no qual os Observers foram criados pelo cientista norueguês. A devastação tinha acontecido no século XXI, apenas. Os Observers não invadiram os outros séculos, apenas o XXI.

Você já leu o livro 'O Fim da Eternidade', do Isaac Asimov? Nele, vemos que a intervenção dos Eternos nos acontecimentos humanos se faz em séculos específicos. E eles procuram fazer de um jeito que o impacto sobre o Futuro seja o menor possível.

Então, a intervenção dos Observers no século XXI levou isso em consideração, com certeza. Eles promoveram a invasão de forma que não impedisse a criação deles mesmos em 2167 pelo cientista norueguês.

Se isso não fosse feito deste jeito, à medida que o Tempo fosse passando, se chegasse 2167 sem que um cientista norueguês criasse os Observers, estes se tornariam Paradoxos e desapareceriam da história nesta Timeline Reescrita.

E se os Observers criassem a eles mesmos, para evitar o Paradoxo, não haveria garantia alguma de que eles conseguiriam criar um Observer exatamente igual ao do cientista norueguês. Se eles criassem Observers mais poderosos do que eles mesmos, estes poderiam voltar no Tempo e liquidar com os Observers do grupo de Windmark.

Quando Windmark sugeriu ao Comandante que liquidasse com Michael e com a Resistência, o mesmo se recusou a fazer isso pois disse que eles não estavam prontos para lidar com as consequências deste ato.

Então, isso mostra que a invasão da Terra no século XXI pelos Observers não foi algo improvisado, mas fruto de um planejamento minucioso que levou em consideração as consequências deste fato.



Marcos Doniseti disse...

E justamente para elaborar esse futuro plano de invasão é que os líderes dos Observers enviaram os '12 Originais' (o grupo liderado por December) para avaliar a Humanidade do século XXI (vide o episódio 'Fracture' - 2X03) e colher informações sobre a mesma.