quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

'The Following'- Estréia promissora e com trama envolvente! - por Marcos Doniseti!

'The Following'- Estréia promissora e com trama envolvente! - por Marcos Doniseti!


'The Following' estreou nos EUA nesta semana com uma excelente audiência e um ótimo episódio 'Piloto.'. 

Pela primeira vez em muito tempo, mas muito tempo mesmo, o autor deste blog irá escrever um texto que não tem nada a ver com 'Fringe'. Mas é clara que esta série clássica jamais será esquecida e as principais novidades sobre ela serão divulgadas e comentadas aqui.

Assisti ontem ao 'Piloto' da nova série 'The Following', que é exibida pela Fox dos EUA sempre às segundas-feiras e cujos 15 episódios da primeira temporadas serão mostrados sem qualquer interrupção.  


Obs: Como será que que irão traduzir o nome da série para o português, hein? Deverá ser 'Os Seguidores', provavelmente... rs.


A trama central do seriado está relacionada a um ex-escritor e professor universitário de Literatura, Joe Carroll (interpretado pelo ótimo ator James Purefoy), e que é apaixonado pela obra do escritor americano Edgar Allan Poe (autor de obras como 'O Corvo'), que o inspira a cometer uma série de crimes depois que ele se tornou um serial killer. 


Essa transformação em assassino serial se deu após ele escrever um livro que era a continuação de uma obra inacabada de Edgar Allan Poe e que foi um fracasso. Carroll nunca se recuperou disso e passou a colocar em prática uma idéia que está presente na obra de Poe, que associa a beleza com a morte. 


Poe disse que 'A morte, quando se alia intimamente com a beleza, é o tema mais poético do mundo'. Ele também pensava que a morte de uma linda mulher era o melhor tema que podia abordar a poesia, principalmente se fosse narrada a partir da melancolia do amante privado de seu tesouro. Seus personagens são neuróticos e obssessivos e suas fobias e loucura os levam a cometer atos terríveis (trechos retirados de uma monografia sobre a obra de Poe; ver link abaixo).


Desta maneira, a impressão que se tem é a de que Joe Carroll, de tanto estudar e admirar a obra de Poe, acabou se transformando em um personagem do mesmo. É como se um personagem de Poe pudesse ter saído das páginas dos seus livros e passado a ter existência no mundo real. 


O oponente de Carroll é um ex-agente do FBI, Ryan Hardy (interpretado pelo também excelente ator Kevin Bacon), que foi responsável pela sua prisão anos atrás, quando ele começou a cometer seus crimes terríveis e que sempre tem belas mulheres como vítimas. Numa jornada brutal e violenta, Carroll matou 14 estudantes universitárias e somente uma das tentativas que ele fez acabou fracassando, que foi contra a sua então aluna Sarah Fuller. 


Mas agora, Carroll conseguiu fugir da prisão e Hardy é chamado de volta pelo FBI para trabalhar como consultor no caso. 


Hardy é uma pessoa atormentada, solitária, sempre bebendo demais e o fato de ter que ir novamente atrás de Carroll piora ainda mais a sua situação, pois reaviva as suas memórias de tudo o que aconteceu quando conseguiu prendê-lo. Ele também escreveu um livro sobre Carroll e ninguém conhece melhor a mente do serial killer do que ele. 


Além disso, a ex-mulher de Carroll teve um caso com Ryan anos antes e, agora, ela tem um filho para cuidar. E é claro que isso terá implicações na história. 


O criador da série, Kevin Williamson, disse que qualquer personagem pode vir a morrer. Concordo, mas com duas exceções: Ryan e Carroll. Estes são claramente os personagens centrais do seriado e que trata dos conflitos entre os dois que nunca terminou, de fato. Se um deles morrer, acaba o seriado. 


Mas esse conflito entre Ryan e Carroll não irá funcionar naquele esquema tradicional e ultrapassado de mocinho X bandido, pois durante os muitos anos em que ficou preso, Carroll conseguiu montar, pela Internet, um grupo de seguidores fiéis (com blogs, fóruns de discussão e sites dedicos à sua 'obra criminosa'), que são serial killers como ele e que o vêem como uma espécie de Guia 'espiritual' que dá sentido às suas vidas. E é claro que tais seguidores estão dispostos a tudo para ajudá-lo. 


Como exemplo disso, vimos uma das suas seguidoras cometer suicídio na frente dos policiais. Outros dois seguidores fingiram ser um casal gay e moraram durante três anos ao lado de Sarah Fuller, a fim de vigiá-la, e que foi a única que foi atacada por Carroll anteriormente e que este não conseguiu matar antes de ser preso, pois foi impedido por Hardy.


E é claro que Ryan descobre que, agora, após fugir da prisão, Carroll irá atrás dela, para 'terminar a sua obra', a qual ele vê como a continuação de um livro inacabado de Edgar Allan Poe. 


Com a colaboração de seus fiés seguidores, Carroll sequestra e mata Sarah e ainda consegue atrair Ryan para um local isolado, onde eles voltam a se enfrentar. Alguém poderia perguntar: Ué, mas esta não deveria ser a cena final do seriado? Não. E na sequência eu comento o motivo disso. 


E o que pode parecer mais estranho, ainda, é que Carroll se rende com certa facilidade e volta a ser preso. 


A questão é: Porque ele faz isso?


Penso que, agora, o grande objetivo de Carroll não é mais executar a idéia de Poe a respeito da conexão entre a morte de uma linda mulher e a beleza. Carroll não precisa mais fazer isso, pois tem seus inúmeros seguidores para colocar em prática as suas idéias 'malucas' sobre isso.


Entendo que o plano de Carroll, agora, é muito mais cruel, que é o de transformar o seu grande rival, Ryan, numa pessoa igual a ele, para que este também comece a pensar e agir exatamente como ele, Carroll. 


Afinal, como Ryan irá sair pelos EUA afora a fim de prender e eliminar os inúmeros seguidores de Carroll, é claro que neste processo ele irá se tornar ainda mais perturbado do que já é, podendo vir a ser tornar tão neurótico e obssessivo quanto o próprio Carroll. Ou mais. 


Assim, para triunfar sobre Carroll, Ryan terá que ser derrotado por ele, sacrificando o que ainda resta da sua sanidade e, também, humanidade. Os seguidores de Carroll são meros peões aos quais ele manipula para atingir aquele que é o seu verdadeiro objetivo: fazer com que Ryan se torne idêntico a ele. 


Carroll parece pensar que somente triunfamos sobre nossos inimigos quando os derrotamos sem que fiquemos iguais a eles. E é exatamente isso que ele deseja impedir que Ryan consiga alcançar. 


Logo, fazer com que Ryan se torne semelhante a ele seria o triunfo final de Carroll. 


Assim, conseguirá Ryan eliminar os seguidores de Carroll sem que isso aconteça? 


É o que iremos descobrir assistindo a esta série, que promete manter o ritmo e o suspense ao longo dos 15 episódios desta primeira temporada. A idéia central do seriado é bastante interessante. Vamos torcer para que, nos próximos 14 episódios, ela continue tão boa quanto foi no 'Piloto'.



Obs1: Em sua estréia, 'The Following' alcançou uma excelente audiência, sendo vista por 10.420.000 espectadores. Resta saber se este nível de audiência, ou algo próximo a isso, irá se manter durante a primeira temporada. Se isso acontecer, uma segunda temporada deverá ser produzida, com certeza. 


Obs2: Para os amantes de 'Fringe', uma curiosidade: O ator que interpreta o agente do FBI que é um fã da obra de Ryan, Mike Weston, participou do episodio 'Amber 31422' (3X05), junto com o seu irmão gêmeo. Seu nome é Shawn Ashmore. 


Obs3: Para quem deseja fazer o donwload do episódio 'Piloto', recomendo o link abaixo:


http://www.series-torrent.com.br/2013/01/the-following-1-temporada-hdtv-2013.html


Links:


Ficha completa do seriado:


http://www.imdb.com/title/tt2071645/


Ótimo texto analisando a obra de Edgar Allan Poe - 'Edgar Allan Poe - A Beleza da Morte':


http://brasil.planetasaber.com/theworld/monographics/seccions/cards/default.asp?pag=1&pk=2597&art=39


Grupo do Facebook onde se debate sobre o seriado:


https://www.facebook.com/groups/395703270518292/


2 comentários:

Anônimo disse...

Texto muito bem escrito. Concordo com suas teorias!
Voltarei mais vezes pra ver as outras reviews!

Marcos Doniseti disse...

Obrigado. Volte sempre ao blog.