domingo, 27 de dezembro de 2015

'The X-Files': As Mitologias da série e a 10a. temporada (Parte 1) - Marcos Doniseti!

'The X-Files': As Mitologias da série e a 10a. temporada (Parte 1) - Marcos Doniseti!
'The X-Files' está de volta e dois ícones da década de 1990 também: Mulder e Scully.

'The X-Files' está voltando à TV. Felizmente. 

E os trailers e informações divulgados até o momento indicam que os seis episódios que serão exibidos estarão inteiramente relacionados à Mitologia dos super-soldados, que foi desenvolvida durante a sétima e a nona temporadas, embora encontremos na mesma elementos que estão presentes em episódios da primeira, segunda, terceira, quarta, quinta e sexta temporadas. 

Entendo que a concepção do Wiiliam, bem como a sua natureza, são fundamentais para se compreender tal Mitologia. As respostas para tais questões ajudarão a entendê-la de forma muito mais completa. E já vou antecipando que, para mim, o Canceroso foi o grande responsável pela gravidez da Scully que, como todos sabem, era uma mulher estéril. 

E como ele fez isso? É isso que tentarei responder na sequência. 


A Concepção de William! (episódio 'En Ami'/'A Salvação da Humanidade', 7X15)!

O Canceroso ficou sabendo da descoberta da nave espacial na Costa do Marfim, pela Scully (episódio 'Biogenesis', 6X22), e entendeu que isso significava que os Aliens (leia-se 'Vírus Alienígena') iriam iniciar um novo Projeto de Colonização. E quando o mesmo tivesse início, somente os próprios Aliens (o Vírus, os Greys dominados pelo Vírus) e os híbridos humanos-alienígenas conseguiriam sobreviver. 

Nesta época, Mulder era um híbrido, possuindo o Vírus alienígena em seu organismo, mas que não o controlava porque os russos aplicaram nele a vacina que testavam para neutralizar a ação do mesmo. Mulder teve o Vírus em seu organismo até a oitava temporada (ver os episódios 'Tunguska', 4X08, e 'Morto Vivo', 8X15). 

O Canceroso acreditava que a cirurgia que promoveria a transferência do material genético de Mulder para ele (episódio 'A Sexta Extinção - Amor Fati', 7X02) daria bons resultados e ele, Canceroso, também se tornaria um híbrido. Assim, ele poderia sobreviver quando a Colonização do Vírus tivesse início.

Quando submeteu o Mulder à cirurgia de transferência de material genético, o Canceroso guardou parte do material genético do mesmo e o utilizou com a finalidade de engravidar Scully. E isso finalmente aconteceu no episódio 'En Ami/A Salvação da Humanidade’ (7X15). 
O eterno vilão de 'X-Files' está voltando...
O objetivo do Canceroso, ao criar o William, era tentar fazer uma nova aliança com os alienígenas, restabelecendo os Planos de Colonização originais, que foram desenvolvidos no seriado entre os episódios 'Anasazi' (2X25) e 'Um Filho' (6X12), no qual o Sindicato teve um papel fundamental, colaborando com o Vírus e com os planos deste, ao mesmo tempo em que procurava ganhar tempo para desenvolver uma vacina que pudesse ser utilizada para a produção de uma arma que destruísse o Vírus. 

E no Sindicato, o Canceroso tinha uma papel muito importante, atuando como um verdadeiro líder do mesmo. Ele comandava inúmeras iniciativas do Sindicato, principalmente aquelas que resultavam em mortes e assassinatos, como aquelas que resultaram na morte da irmã de Scully (Melissa), do pai de criação do Mulder (Bill Mulder) e na tentativa de assassinar Skinner. 

Foi justamente isso (restabelecer os planos originais do Projeto de Colonização) aliás, o que o Canceroso disse para o Krycek, no episódio 'Réquiem' (7X22), que encerrou a sétima temporada da série e no qual Mulder foi abduzido pelos Aliens (o objetivo dos Aliens era transformá-lo em um super-soldado, tal como fez com Billy Miles, mas tal processo foi interrompido a tempo, devido à ação do Skinner (vide episódio 'DeadAlive/Morto Vivo', 8X15). 

Mas os novos colonizadores do planeta, os 'Rebeldes Sem Face', não estavam dispostos a fazer uma aliança com ninguém. Nem com o Canceroso. 

Krycek percebeu isso quando foi para Bellefleur (no Oregon, quando uma nave espacial dos 'RSF' caiu, que é a mesma cidade na qual se desenvolveu a história do episódio 'Piloto' da série) e descobriu que os Aliens não queriam fazer acordo algum. 

Quando se deu conta de que o Fumacinha não teria um papel relevante na nova tentativa de Colonização do planeta, Krycek tratou de se vingar do Canceroso, jogando-o escada abaixo. 
Dr. Ishimaru Zama foi o responsável por fazer inúmeros testes em Scully e em outras mulheres, que as deixaram estéreis. Seus óvulos foram retirados e misturados com DNA alienígena, visando criar híbridos. Ele criou os primeiros super-soldados híbridos. 
Canceroso, o Dr. Ishimaru Zama e a criação de William!

O Dr. Ishimaru Zama comandou uma equipe de cientistas japoneses que, após a Segunda Guerra Mundial, foi trabalhar secretamente para o governo dos EUA. E a sua equipe desenvolveu uma maneira de, misturando DNA humano e alienígena, criar super-soldados híbridos e que tinham imunidade para qualquer tipo de arma e de doença (vejam ‘Os Japoneses-Nisei'/O Falso Alienígena/731’; 3X09 e 3X10). 

Tais super-soldados ainda eram muito deformados (cabeça imensa, seis dedos, corpo franzino), mas o conhecimento necessário para criá-los passou a existir. 

E quem ficou com o diário do Dr. Zama, que registrava todos os resultados das pesquisas e dos conhecimentos produzidos por ele e a sua equipe? O Canceroso, é claro (vejam a cena final de '731'). 

Os planos originais de Colonização do planeta pelo Vírus Alienígena foram destruídos e inviabilizados pelos 'Rebeldes Sem Face', uma raça alienígena que evitou de ser dominada pelo Vírus bloqueando todos os orifícios de seu organismo (nos olhos, orelhas, nariz, etc), impedindo, assim, que o Vírus a controlasse. 

Depois, os 'RSF' se revoltaram e começaram a lutar contra os planos do Vírus (ver episódios 'Patient X' e 'The Red and the Black', 5X13 e 5X14), procurando inviabilizar os planos de colonização da Terra pelo mesmo, algo que finalmente conseguiram fazer (ver episódios 'Two Fathers' e 'One Son', 6X11 e 6X12).

E após a destruição dos planos de Colonização da Terra pelo Vírus, que resultou na morte de quase todos os membros do Sindicato, os conhecimentos desenvolvidos pelo Dr. Zama e a sua equipe foram aperfeiçoados pelos Drs. Lev e Parenti, médicos que trabalhavam para o Canceroso (este foi o único membro do Sindicato que sobreviveu). 


Anúncio do retorno da série colocou Duchovny e Gillian na capa das revistas de entretenimento. É a força de 'X-Files'. 
Tais médicos trabalhavam para o Canceroso em clínicas de fertilização (chamadas 'Zeus Genetics'...) que serviam como fachada para que pudessem desenvolver o seu verdadeiro projeto, que era o de desenvolver pesquisas genéticas que visavam criar um híbrido humano-alienígena que não tivesse as fraquezas humanas e adquirisse imunidade a todas as armas e doenças (vejam ‘Per Manum’, 8X13, 'Essence’ e ‘Existence’, 8X20 e 8X21)

E foi utilizando de tais conhecimentos que o Canceroso decidiu utilizar o material genético do Mulder híbrido para engravidar a Scully e gerar um super-soldado ainda mais evoluído do que qualquer outro já inventado e que não possuísse nenhuma fraqueza humana.

Como o Canceroso conseguiria fazer isso, no entanto, sem despertar maiores suspeitas de Mulder, Skinner, etc?

O Canceroso convenceu a Scully a fazer uma viagem e a se encontrar, num local isolado, com uma pessoa chamada por ele de ‘Cobra’. 

Neste encontro, o ‘Cobra’ iria entregar para a Scully um CD-ROM com informações que permitiriam curar o Câncer, o que iria salvar milhões de vidas no mundo inteiro. 

Depois, quando já se encontravam no local em questão, o Canceroso informou a Scully de que o CD-ROM, na verdade, tinha informações e conhecimentos que permitiria curar todas as doenças da Humanidade e que eram, em grande parte, de origem extraterrestre. 

Bem, o que interessa, a meu ver, é que o Canceroso conseguiu o objetivo dele. 

Como? Simples: quando chegaram ao local do encontro com o tal de ‘Cobra’, a Scully estava dormindo no carro. E quando ela acorda, ela estava na cama e com a roupa de dormir. Ela havia dormido durante a noite inteira. 

A minha teoria é a de que, durante a sua noite de sono, Scully foi submetida a uma cirurgia através da qual os médicos que trabalhavam para o Canceroso, os Drs. Lev e Parenti, se utilizaram das técnicas de hibridação genética criadas pelo Dr. Zama e que foram aperfeiçoadas por eles, para engravidar a Scully se utilizando do material genético retirado do Mulder. 

Todos estes conhecimentos e tecnologias foram usados, pelos Drs. Lev e Parenti, para criar um embrião de super-soldado híbrido, humano-alienígena, sem as fraquezas humanas e com imunidade a todo tipo de armamento ou de doença. E tal embrião foi introduzido na Scully quando ela viajou com o Canceroso. Mas, Scully não era a única mulher que, involuntariamente, 'participava' deste projeto. 
Reunião do Sindicato, liderada pelo Elder, que era uma das pessoas mais forte do grupo, que foi criado em 1973 para colaborar com os Planos de Colonização do Vírus, que previa o extermínio da humanidade e o domínio do planeta por uma raça de Greys que havia sido dominada e escravizada pelo Vírus. 
Na verdade, Scully fazia parte de um grupo mais amplo, de mulheres que haviam sido sequestradas por militares a serviço do Sindicato, na época da primeira tentativa de Colonização da Terra pelo Vírus Alienígena. Tais mulheres foram sequestradas em função do seu perfil genético (incluindo Scully). 

E o perfil genético de cada uma desta mulheres havia sido obtido por meio de vacinações contra a Varíola que haviam sido realizadas em todas as pessoas nascidas nos EUA após a década de 50, época da Guerra Fria, que é o mesmo período em que os militares começaram a fazer testes secretos visando a criação dos super-soldados. 

Tais mulheres haviam ficado estéreis em função dos testes que haviam sido realizados nelas por ordens do Sindicato e que tinham sido realizadas pela equipe médica liderada pelo Dr. Ishimaru Zama. Portanto, o Canceroso tinha a relação com os nomes destas mulheres, pois ele mesmo comandou a realização dos testes aos quais elas haviam sido submetidas.  

Quando tais planos de Colonização foram destruídos (ver episódios 'Two Fathers' e 'One Son', 6X11 e 6X12), o Canceroso decidiu iniciar um novo projeto de criação de super-soldados. E ele tinha como levar tal ideia adiante. 

Afinal, ele ficou com o diário do Dr. Zama que continha todas as informações necessárias sobre como era possível criar os super-soldados. E o Canceroso também possuía a lista das mulheres sequestradas anteriormente pelo Sindicato e cujo perfil genético indicava que elas eram as mais adequadas a gerar tais super-soldados.
Afinal, o que foi que aconteceu com o William?
Mas esses super-soldados criados pelo Canceroso, sendo que o primeiro de todos foi o William, possuíam uma grande diferença em relação aos super-soldados desenvolvidos pelo doutor Ishimaru Zama. 

Enquanto os super-soldados criados pelo Dr. Zama eram deformados (cabeça imensa, seis dedos, corpo franzino; ver '731', 3X10), William era um ser humano comum, absolutamente igual em aparência a todos os demais, mas que possuía poderes com os quais as pessoas comuns sequer sonhavam. 

Assim, em ‘En Ami/A Salvação da Humanidade’ (7X15), o Canceroso conseguiu o que queria: engravidar a Scully, gerando o William, que é um tipo de super-soldado híbrido muito mais poderoso e evoluído do que os próprios super-soldados e, talvez, até mais poderoso do que os próprios alienígenas. E William não tem, também, nenhuma das fraquezas humanas. 

Resta saber quais eram os objetivos do Canceroso ao criar o William: 

1) Usar o William como uma espécie de 'moeda de troca' para negociar um acordo com os "Rebeldes Sem Face' e, assim, poder participar do Projeto de Colonização dos mesmos?; 

2) Usar o William para inviabilizar os planos de Colonização dos 'RSF', vingando-se dos mesmos depois que estes deixaram claro que não queriam acordo algum com o Canceroso (ver 'Réquiem', 7X22). 

E é por isso, aliás, que os 'RSF' têm tanto medo de William, pois acreditam que ele possa vir a se tornar o líder de uma Resistência que iria comandar a luta contra os planos de Colonização da Terra pelos Aliens, inviabilizando a realização destes. Isso também explica porque os 'RSF' passaram a se interessar pela gravidez de Scully, chegando até mesmo a enviar super-soldados para acompanhar o nascimento do garoto milagroso (ver episódios 'Essence' e 'Existence', 8X20 e 8X21).

E quando os "RSF" perceberam, claramente, que William era uma 'criança especial', dotada de muitos poderes, que poderia, inclusive, vir a inviabilizar os planos de Colonização pelos super-soldados criados e controlados por eles (como Billy Miles, Knowle Rohrer, entre outros), estes decidiram que Mulder precisava morrer ou, no mínimo, ficar longe do filho, pois os 'RSF' entendiam que se o mesmo sobrevivesse e ou tivesse a chance de educar o filho, este acabaria seguindo o exemplo do pai e lutaria contra os seus planos de colonizar a Terra. 

Desta maneira, William seria o primeiro membro de uma nova espécie humana, híbrida e sem fraquezas, que teria condições de resistir e de destruir os planos de Colonização da Terra pelos 'RSF'. 

William seria o Adão, que daria origem a uma nova Humanidade, muito mais poderosa e evoluída do que a anterior, e que impediria a conquista do planeta por qualquer outra espécie alienígena. 

Assim, o William seria ‘A Salvação da Humanidade’. 
Os 'Rebeldes Sem Face' destruíram os planos de colonização do Vírus e, depois, deram início ao seu próprio projeto de conquista da Terra. 
Porém, os 'RSF' também tinham os seus planos de criação de super-soldados altamente poderosos e evoluídos, que eram replicantes humanos, semelhantes em tudo aos humanos, com a única exceção de possuírem uma protuberância na base da nuca (espinha cervical), que é, aliás, o mesmo local em que os cientistas a serviço do Sindicato introduziam os chips (Scully e as mulheres sequestradas, e que ficaram estéreis, os possuíam) e que, caso fossem retirados, desenvolvia um câncer que as matava rapidamente. 

Billy Miles, Knowle Rohrer e Shannon Mcmahon eram super-soldados que possuíam tal protuberância, na qual se localizava uma peça metálica que tinha o poder de reconstruir os super-soldados mesmo depois que estes fossem, aparentemente, mortos ou até moídos (vide o que acontece com o Billy Miles em 'Essence', 8X20). Tal tecnologia de reconstrução era a mesma que os 'RSF' usavam em suas naves espaciais. Eles usaram das informações contidas nos chips, da sua tecnologia de reconstrução e do Vírus para criar a sua própria versão dos super-soldados.

Os 'RSF' desenvolveram três formas diferentes para se criar super-soldados, que são:

1) Os super-soldados eram criados nas naves espaciais dos 'RSF', que os devolviam para que o processo de transformação se completasse. Para isso eles precisavam ser mantidos em temperatura elevada (sob baixas temperaturas ele se tornava inofensivo... vide os episódios 'A Colônia/Fim de Jogo', 2X16 e 2X17). Isso aconteceu com o Billy Miles, mas com o Mulder o processo não foi finalizado, graças ao Skinner (ver 'DeadAlive/MortoVivo', 8X15);

2) Manipulação da estrutura molecular da cloramina, que era colocada na água potável. O objetivo era gerar uma mutação que levasse as mulheres a engravidar e, assim, gerar toda uma nova geração de super-soldados controlados pelos 'RSF'. Isso foi mostrado nos episódios 'Nothing Important Happened Today' - Partes 1 e 2 (9X01 e 9X02);

3) Pesquisas que misturavam o DNA humano com o alienígena e que eram realizadas em navios que ficavam os 12 meses do ano viajando pelos Oceanos. Vide os episódios 'Nothing Important Happened Today' - Partes 1 e 2 (9X01 e 9X02).

A primeira tentativa de criação dos super-soldados pelos 'RSF', que resultou na criação de Billy Miles, Knowle Rohrer e Shannon Mcmahon, foi bem sucedida, mas as duas seguintes não sabemos quais foram os resultados finais. A nona temporada da série mostrou que as pesquisas eram realizadas (com a cloramina na água e com as pesquisas genéticas nos navios), mas não foi mostrado se elas funcionaram ou não.

É bom esclarecer que, inicialmente, o projeto de criação dos super-soldados não tinha nenhuma conexão com os planos de Colonização dos alienígenas (seja do Vírus, seja dos 'RSF'). 
Mulder e Scully juntos novamente...
Tratava-se, essencialmente, de um projeto militar secreto que manipulava o DNA humano e que gerou meninos chamados de 'Adão' e meninas chamadas de 'Eva', que eram mais fortes, mais inteligentes e que possuíam um instinto assassino altamente evoluído (ver episódios 'Eve', 1X11, e 'NITH', 9X01, 9X02). 

Garganta Profunda fala sobre tal projeto para Mulder ('Eve', 1X11) e Shannon Mcmahon explica sobre o mesmo para Doggett, Scully e Monica (em 'NIHT', 9X02). Shannon disse que ela foi uma das 'Evas' e que depois dela mais sete estágios de super-soldados foram desenvolvidos. 

Mas depois tais planos militares secretos passaram a misturar o DNA humano com o alienígena visando criar um Exército de supersoldados (vide 'Nisei/731', 3X09 e 3X10). A questão é: Porque isso foi feito? Talvez o Sindicato tivesse a intenção de usar tal Exército contra o Vírus, inviabilizando os planos de Colonização do mesmo. 

Não podemos esquecer que o Sindicato também tentou criar uma Vacina que neutralizasse o Vírus. A facção russa do Sindicato foi a primeira a fazê-lo, promovendo testes em prisioneiros, incluindo o Mulder (vide episódios 'Tunguska' e 'Terma', 4X08 e 4X09) e, depois, a facção ianque tentou fazer o mesmo, chegando até mesmo a usar a Marita Covarrubias como uma cobaia, punindo-a por ter ajudado Mulder (vide 'Patient X' e 'The Red and the Black', 5X13 e 5X14). 

Mas a proposta de colaborar com o Vírus acabou sendo vitoriosa dentro do Sindicato. Isso explicaria porque somente depois que os planos de Colonização do Vírus foram destruídos e que os 'RSF' recusaram a colaboração do Canceroso é que este decidiu retomar o projeto de se criar um Exército de Super-Soldados, usando das anotações do Dr. Ishimaru Zama e contratando os Drs. Lev  e Parenti para desenvolver o mesmo. 

Com isso, o Canceroso conseguiu ir ainda mais longe do que o Dr. Zama e acabou criando, de fato, uma nova espécie humana, muito mais poderosa e evoluída, da qual William é o membro original, o Adão. 
Esse é o visual do Skinner de 'X-Files' em 2016... O Diretor-Assistente do FBI sempre procurou ajudar Mulder e Scully, mesmo com as pressões e ameaças que recebia, vindas principalmente do Canceroso.
Várias questões ficaram sem resposta quando a série terminou na TV, em Maio de 2002, tais como:

1) As pesquisas dos 'RSF' com cloramina e com o DNA humano e alienígena foram bem sucedias?

2) William preservou os seus poderes após Jeffrey Spender (filho do Canceroso e meio-irmão de Mulder) injetar magnetita?;

3) A invasão da Terra, marcada para começar no dia 22/12/2012, realmente aconteceu?;

Espera-se que estes seis episódios que serão exibidos, a partir de Janeiro de 2016, tragam respostas para estas questões. 

E que 'The X-Files' seja tão boa e faça tanto sucesso quanto da primeira vez em que foi exibida. 


Resumindo a Teoria da concepção de William!

1) O Canceroso tinha o material genético do Mulder, que ele retirou em 'A Sexta Extinção: Amor Fati';

2) O Canceroso ficou com o diário do Dr. Ishimaru Zama, em 'Os Japoneses/O Falso Alienígena', que continha as informações sobre as pesquisas que este havia feito para criar super-soldados imunes a qualquer tipo de arma e de doença;

3) Mesmo depois da destruição do Projeto de Colonização do Vírus/Óleo Negro, as pesquisas para se criar um super-soldado imune a tudo e sem nenhuma fraqueza humana prosseguiram (vide o que aquela 'enfermeira', Lizzy Gill, que ajudava Scully durante a gravidez falou depois que foi desmascarada, nos episódios 'Essence/Existence', 8X20 e 8X21), sob o controle do Canceroso, que queria restabelecer a aliança com os Alienígenas e iniciar um novo Projeto de Colonização (vide o que o Canceroso falou para o Krycek em 'Réquiem', 7X22). Os Doutores Lev e Parenti trabalhavam para o Canceroso e deram continuidade às pesquisas (vide 'Per Manum/Essence/Existence', 8X13, 8X20, 8X21); 

4) Assim, o Canceroso tinha o material genético do Mulder e os conhecimentos e as tecnologias necessárias para criar um super-soldado sem nenhuma fraqueza humana;

5) Para finalizar o processo de concepção e criação do William, o Canceroso só precisava da Scully, para submetê-la a uma cirurgia que a engravidasse, introduzindo um embrião em seu organismo, tal como havia sido feito com outras mulheres, estéreis como a Scully (ver 'Per Manum', 8X13), mas cujas tentativas haviam fracassado, pois os bebês sempre nasciam com uma aparência de alien. 
Foto antiga, de 1973, dos membros do Sindicato. Canceroso, Bill Mulder e o Garganta Profunda estão nela. 
E isso o Canceroso conseguiu fazer em 'A Salvação da Humanidade' (7X15), quando convenceu a Scully a realizar uma viagem com ele, dizendo que ela iria receber um CD com os conhecimentos necessários para a cura do Câncer (era uma mentira feita apenas para atrair a Scully). O Canceroso a levou para um local afastado, isolado. 

Chegando lá, a Scully estava dormindo e somente foi acordar algumas horas depois... Durante este período em que ela ficou desacordada (provavelmente foi sedada para que não acordasse) ela foi engravidada por médicos a serviço do Canceroso.

Bem, quando a Scully acordou, ela olhou para as roupas que estava usando, diferentes daquelas que ela estava usando quando chegou, dormindo, ao local isolado para o qual o Canceroso a levou, e notou que 'tudo estava como antes'.

Assim, os médicos do Canceroso conseguiram fazer um serviço perfeito, tanto que a própria Scully não notou nada de diferente em si quando acordou (até o microfone que ela levou embaixo da roupa continuava lá, como se apenas as suas roupas tivessem sido trocadas e mais nada tivesse acontecido).

William pode ter sido concebido por meio de uma relação sexual normal?

O William não foi concebido a partir de uma relação sexual, embora Mulder e Scully já estivessem se relacionando romanticamente há muito tempo. Não dá para engravidar uma mulher estéril por 'métodos normais'. 

E o segundo filme de ‘Arquivo X’ confirmou isso, pois o mesmo mostrou Mulder e Scully vivendo juntos, há mais de 5 anos, e sugere claramente que eles tem uma vida sexual normal, ou seja, bastante intensa. E mesmo assim, depois de mais de 5 anos vivendo juntos, Scully não voltou a engravidar. Por que? Porque ela é estéril e a sua gravidez foi fruto de um Milagre, viabilizado pelo Canceroso. 
Scully se apresentando para Mulder, no 'Episódio Piloto'. 
Mas o projeto do Canceroso era justamente esse: usando das técnicas de hibridação genética desenvolvidas pelo Dr. Ishimaru Zama e aperfeiçoadas pelos Drs. Lev e Parenti,. engravidar mulheres estéreis. No episódio 'Per Manum' (8X13) isso é mostrado claramente. Scully tinha a sua gravidez monitorada pelo Dr. Parenti, que trabalhava para o... Canceroso.

O problema é que 'The X-Files' não se prende à questões exclusivamente científicas, embora parta de uma base parcialmente científica. Mas a série trata justamente daquilo que a Ciência não explica. É por isso que se diz, o tempo inteiro, que a gravidez da Scully foi um Milagre, embora seja um Milagre produzido pela Ciência. E isso é coerente com o que a Dra. Sally Kendrick previu que aconteceria, em 'Projeto Litchfield' (1X11), que foi um dos episódios no qual Chris Carter se baseou para criar a Mitologia dos Super-soldados, na qual o William tinha um papel central, junto com o  'Piloto', o 'Jogo de Gato e Rato' (1X24) e o 'Sem Dormir' (2X04). 

A Scully queria acreditar que o William era normal, mas isso entrava em choque com tudo o que acontecia com ele e por causa dele. Basta ver o pedaço da nave espacial que o William atraiu para si em 'Provenance/Providence' (9X09 e 9X10), o seu sequestro pela seita, a intervenção da Nave Espacial de origem Divina visando salvá-lo e devolvê-lo para Scully, bem como o grande interesse dos alienígenas por William.

Tudo isso somente se justifica justamente porque William não era uma criança normal.
'The X-Files' retornando em 2016...

Scully: Fertilização artificial foi tentada e não deu certo!

A tentativa de engravidar Scully por métodos de fertilização artificial normais foi tentada. 'Per Manum' (8X13) mostra isso claramente, nas cenas em 'flashback'.

Mulder cedeu o seu esperma para que tal tentativa fosse feita, mas isso não deu certo. Scully ficou triste e ele disse 'Nunca desista de um Milagre'. Justamente em função desse fracasso é que o Canceroso decidiu usar das técnicas de hibridação genética na Scully e em outras mulheres estéreis. 

Esse Milagre foi produzido, sim, mas pelo Canceroso, usando as técnicas de hibridação genética criadas pelo Dr. Ishimaru Zama e aperfeiçoadas pelos Drs. Lev e Parenti, que usavam as mulheres que haviam ficado estéreis quando tiveram os seus óvulos retirados por cientistas a serviço do Sindicato na época do primeiro Projeto de Colonização, para criar novos e melhores tipos de super-soldados.

Mesmo depois que esse primeiro Projeto de Colonização foi destruído (Dois Pais/Um Filho, 6X11 e 6X12) tais pesquisas continuaram nos anos seguintes, por determinação de sobreviventes do Sindicato. E o único membro do Sindicato que sobreviveu foi o... Canceroso. A 'enfermeira' (Lizzy Gill), que 'ajudava' Scully durante a gravidez desta, informou isso em 'Essence/Existence'.

A magnetita líquida anulou os poderes de William?

A injeção de magnetita líquida aplicada pelo Jeffrey Spender no William (ver episódio 'William', 9X16) não anulou os poderes deste. Não se extraiu nada dele ao aplicar a injeção. Esta aplicação foi feita para protegê-lo dos super-soldados, que são destruídos pela magnetita. Esta é a única coisa que tem poder para matar os super-soldados (ver episódio 'TrustNo1', 9X06). 

Mas como William é um tipo de Super-soldado muito mais poderoso e evoluído do que os próprios Aliens e não possui nenhuma fraqueza humana, então pode-se concluir que ele é imune aos efeitos da magnetita. 
Os 'Pistoleiros Solitários' também estão de volta à 'The X-Files'... 
Foi por isso que o Jeffrey Spender disse que havia feito uma coisa boa agindo assim e que William não corria perigo algum. E é pelo fato do William ser muito mais poderoso do que eles, Aliens, é que estes tem tanto medo dele e queriam matar o Mulder, pois os Aliens pensavam que se este sobrevivesse William seguiria o exemplo do pai e acabaria se tornando o líder da Resistência contra os seus planos de Colonização.

Per Manum (8X13) - Episódio essencial para entender a Mitologia dos super-soldados!

Como já comentei, essas mulheres que ficaram estéreis (Scully foi uma delas) tinham sido sequestradas pelos Militares, que estavam a serviço do Sindicato, na época da primeira tentativa de Colonização (do Vírus/Óleo Negro), e foram submetidas a inúmeros testes para se promover uma fertilização artificial, misturando material genético alienígena com os óvulos delas, que foram extraídos para isso. 

Por isso, tais mulheres ficaram estéreis. Scully foi uma dessas muitas mulheres submetidas a tais testes e também ficou estéril em função disso . 

E o Canceroso decidiu submeter tais mulheres a novas tentativas de fertilização, usando das técnicas criadas e aperfeiçoadas dos Drs. Ishimaru Zama/Lev/Parenti, depois que o primeiro Projeto de Colonização foi destruído. 

Em função do fracasso da tentativa de engravidar Scully usando de técnicas de fertilização usando o esperma do Mulder, não há como explicar a gravidez da Scully a partir disso. 

Isso já foi mostrado na série, em 'Per Manum'. A gravidez da Scully foi um Milagre, mas a dúvida que permanece é: Que tipo de Milagre? Se levarmos em consideração tudo o que foi mostrado na série durante todos estes anos, podemos dizer que a gravidez de Scully foi um milagre produzido pela Ciência, mas com uma decisiva participação de conhecimentos gerados por alienígenas, algo que o próprio Canceroso falou para a Scully ('En Ami/A Salvação da Humanidade', 6X15). 
Mulder e Scully, na versão 2016...
Dar o William para adoção foi uma decisão correta?

Para mim, dar o William para adoção não foi uma forma de proteger o garoto.

Foi uma maneira, na verdade, de proteger Mulder e Scully. 

O garoto é tão poderoso e especial que enquanto Mulder e Scully estivessem com ele os Aliens e os supersoldados iriam infernizar a vida dos dois para utilizar o menino como um instrumento do seu Projeto de Colonização. A vida de Mulder e Scully iria se tranformar num verdadeiro Inferno. Aliás, a vida da Scully se transformou em um inferno durante a nona temporada e isso ocorreu justamente em função do nascimento do William. 

Então, muito a contragosto, a própria Scully acabou tendo de reconhecer que a única maneira de se proteger, e ao Mulder também, dessa perseguição infernal dos Aliens e dos super-soldados, era doando o garoto para um casal desconhecido, que vive num local isolado, longe de tudo e de todos, e torcer para que os Aliens e os super-soldados não descubram qual é o paradeiro do William.

O chip pode ter sido usado para engravidar a Scully?

O chip na base da nuca da Scully foi introduzido, pelo que me lembro, para monitorá-la, saber o que ela pensava, e também tinha poderes de cura, sim. 

Mas, ele foi implantado nestas mulheres por quem, mesmo? Por médicos que trabalhavam para o Sindicato, ou seja, para o Canceroso.

Olha o 'Grande Cança' aí, de novo...
Afinal, a invasão do planeta pelos alienígenas aconteceu em 22/12/2012, como estava marcado?
Porque o Canceroso criou o William? 

O Canceroso dedicou toda a sua vida ao Projeto de Colonização que foi destruído pelos 'RSF' e isso o fez insistir em seus planos pois, do contrário, a sua vida teria sido um grande desperdício. Entendo que ele nunca se conformou com isso e decidiu-se por tentar novamente. Daí, ele criou o William, usando de elementos, conhecimentos e informações que haviam sobrado do Projeto anterior. 

E como os 'RSF' foram os responsáveis pela destruição do Projeto de Colonização ao qual ele dedicou toda a sua vida, Canceroso decidiu criar o William para se vingar, inviabilizando os planos dos 'RSF'. Ou então Canceroso o criou para forçar uma negociação, um acordo, com os 'RSF', algo que estes rejeitavam. 

sábado, 26 de dezembro de 2015

Filme de Elio Petri: La Classe Operaia Va In Paradiso (A Classe Operária Vai ao Paraíso) - Marcos Doniseti!

Filme de Elio Petri: La Classe Operaia Va In Paradiso (A Classe Operária Vai ao Paraíso) - Marcos Doniseti!
Filme de Elio Petri é uma obra clássica do Cinema Político italiano. E Gian Maria Volonté dá outro show de interpretação. 

Obra clássica de Elio Petri, que retrata a situação da classe operária industrial italiana do final dos anos 1960.
O brilhante Gian Maria Volonté interpreta um operário bem comportado (Lulu Massa) e que é o operário-padrão, o orgulho dos patrões, pois obtém a maior produtividade entre todos os trabalhadores da empresa.
Desta maneira, Lulu se mantém afastado das lutas trabalhistas e sindicais contra os baixos salários e as péssimas (e inseguras) condições de trabalho da fábrica na qual trabalha e na qual todos são brutalmente explorados pelos capitalistas.

A empresa adota um sistema de produção por metas, exigindo cotas elevadas dos trabalhadores, o que leva os operários a cumprir jornadas de trabalho desumanas, que aumenta os lucros dos capitalistas, mas que mantém os operários na miséria. O sindicato luta contra esse sistema de produção por metas, mas Lulu (paparicado pelos patrões) se mantém alheio a tudo.

A miséria na qual Lulu vive gera conflitos domésticos constantes com a sua mulher e Lulu é tão brutalmente explorado que mal consegue usufruir dos bens de consumo que adquiriu graças à sua elevada produtividade.
Até que Lulu sofre um acidente, perdendo um dedo.
É quando ele percebe que não significa nada para os patrões e, com isso, Lulu passa a se envolver nas lutas dos trabalhadores, chegando a ser demitido em função disso.
O filme de Elio Petri está diretamente relacionado às lutas dos operários italianos do final dos anos 1960 e início da década de 1970, período no qual tivemos um intenso movimento grevista no país, que permitiu aos trabalhadores da terra da Bota desfrutarem de melhores condições materiais de vida.
Este é um filme importante, que retrata um momento histórico relevante e reflete a respeito da situação dos trabalhadores em uma época de intensas lutas sociais e políticas que abalaram a Itália no final dos anos 1960 e início dos anos 1970.

Título: La Classe Operaia va in Paradiso (A Classe Operária vai ao Paraíso);
Diretor: Elio Petri;
Ano de Produção: 1971; País de Produção: Itália;
Duração 125 minutos:
Gênero: Drama Político;

Elenco: Gian Maria Volonte (Lulu Massa), Mariangela Melato (Lídia), Gino Pernice (Sindicalista); Luigi Diberti (Bassi); Donato Castellanete (Marx); Giuseppe Fortis (Valli); Corrado Solari (Mena).
Prêmio: Palma de Ouro no Festival de Cannes em 1972. 



sábado, 12 de dezembro de 2015

David Gilmour viaja pela história do Pink Floyd em show primoroso em São Paulo! - Marcos Doniseti!

David Gilmour viaja pela história do Pink Floyd em show primoroso em São Paulo! - Marcos Doniseti!
David Gilmour, um dos mais talentosos e criativos nomes da história do Rock, faz show brilhante em São Paulo, viajando por todas as fases do Pink Floyd. 

Eu estive lá, no Allianz Parque, ontem, assistindo a esse show absolutamente fantástico do grande David Gilmour, um dos mais geniais guitarristas da história do Rock. A maior parte do show de Gilmour é composto de músicas clássicas do imortal Pink Floyd (que sempre foi o meu grupo preferido entre aqueles grandes grupos de Rock dos anos 1960-1970, como os Beatles, Rolling Stones, Led Zeppellin, Black Sabbath, The Who, The Doors, entre outros) e também inclui algumas canções de sua carreira solo. No total, Gilmour e sua banda fabulosa tocaram 21 músicas, sendo 12 do Pink Floyd. Aliás, as canções da carreira solo de Gilmour são boas, sim, mas é claro que o público estava lá para vê-lo tocar as obras clássicas, eternas, atemporais e inesquecíveis do fantástico e imortal Pink Floyd (cujo nome é resultado da junção dos nomes de dois bluesmen da Georgia, dos quais Syd Barrett era fã, que são Pink Anderson e Floyd Council) e a sua brilhante banda (cujo saxofonista, Joaõ Macedo de Mello, de apenas 20 anos, é um brasileiro, e que tocou muito bem e que foi muito aplaudido pelo público, aliás). E quando as belíssimas canções do Pink Floyd eram tocadas, é claro que o público, em peso, delirava e cantava junto, principalmente em 'Money', 'Time', 'Wish You Were Here', 'Us and Them', 'Shine On You Crazy Diamond' e em 'Comfortambly Numb'. Por sua vez, a pesada, dançante e rápida 'Run Like Hell' foi a música que mais agitou o público, fazendo o mesmo pular e gritar de forma intensa. E entre os principais momentos do show estavam, é claro, os solos absolutamente fantásticos de Gilmour, cuja assinatura na guitarra é inconfundível. Não é a toa que o seu solo de guitarra em 'Confortambly Numb' tenha sido considerado como o melhor de todos os tempos. O show de Gilmour permite aos fãs viajar por todas as fases do Pink Floyd. Nele, são executadas músicas do primeiro álbum do grupo, inteiramente composto pelo fundador do grupo, o genial e atormentado Syd Barrett (Gilmour toca 'Astronomy Domine', de 1967, do álbum 'The Piper at the Gates of Dawn'). Já do álbum 'Atom Heart Mother', de 1970 (o disco da vaca na capa) temos a execução de 'Fat Old Sun'. Do clássico imortal 'The Dark Side of the Moon' (1973 e que ainda será ouvido daqui a uns 500 anos) tivemos a execução de 'Money', 'Time', 'Breathe' e 'Us and Them'. Do álbum 'The Wall' (1979, essencialmente uma obra de Waters, mas que teve a colaboração de Gilmour em algumas faixas) vimos Gilmour e banda executarem 'Run Like Hell' e 'Confortambly Numb' (que encerra o show de forma brilhante, deixando todos os fãs mais do que felizes e satisfeitos). Do 'Wish You Were Here' (álbum de 1975, criticado na época, mas que hoje é reconhecido como um dos melhores da história do Rock), temos a execução da música título (que faz o público inteiro cantar junto e se emocionar) e de 'Shine On You Crazy Diamond', um dos maiores clássicos do Floyd e que foi intensamente cantada pelos fãs na Arena. Ambas as canções fazem referência (e reverencia...) ao genial Syd Barrett, afastado do grupo anos antes por, literalmente, ter 'pirado' devido ao exagero com as mais variadas drogas. Aliás, Gilmour entrou para o Pink Floyd justamente para cobrir as ausências e maluquices de Barrett, como a de tocar uma única nota durante um show inteiro ou de ficar totalmente calado nas entrevistas. Da fase floydiana pós-Waters, Gilmour executou 'Sorrow' (do álbum 'A Momentary Lapse of Reason', de 1987) e 'High Hopes' (do álbum 'The Division Bell', de 1994). Estranhei apenas a ausência da belíssima 'Take it Back' (também do 'The Division Bell'). Enfim, Gilmour faz um show sensacional, inesquecível, que leva os fãs do Pink Floyd (como é o meu caso, é claro) ao delírio, fazendo com que todos saiam da Arena palmeirense com um sorriso imenso e plenamente satisfeitos, conscientes de que acabaram assistir a um dos melhores shows de suas vidas. Também tive o prazer de assistir aos shows de Roger Waters, aqui no Brasil, quando ele veio tocar no Morumbi em 2007, quando executou, na íntegra, 'The Dark Side of the Moon', a obra clássica e imortal do Pink Floyd, e em 2012 (no mesmo Morumbi), quando tocou (também na íntegra), a outro disco clássico do grupo, o álbum 'The Wall'. Em termos de produção, os shows de Waters são mais grandiosos, mas no aspecto da qualidade musical eles se equivalem, pois ambos (Waters e Gilmour) são dois gênios do que Rock que, juntos, produziram alguns dos momentos mais brilhantes deste gênero musical enquanto trabalharam juntos naquele grupo de blues psicodélico que o gênio Syd Barrett fundou nas terras da Rainha. Enfim, tanto no caso do show de Gilmour, como nos de Waters, eu posso garantir que eles valeram cada centavo gasto para vê-los. Em ambos eu tive alguns dos mais belos momentos da minha longa história de envolvimento com o Rock e que começou na minha já remota adolescência. Valeu, Gênios! Setlist do show do dia 11/12/2015: Set 1: 1 - 5 A.M.; 2 - Rattle That Lock; 3 - Faces of Stone; 4 - Wish You Were Here (Pink Floyd); 5 - A Boat Lies Waiting; 6 - The Blue; 7 - Money (Pink Floyd); 8 - Us and Them (Pink Floyd); 9 - In Any Tongue; 10 - High Hopes (Pink Floyd). Set 2: 11 - Astronomy Domine (Pink Floyd; 12 - Shine On You Crazy Diamond (parts 1-4) (Pink Floyd); 13 - Fat Old Sun (Pink Floyd); 14 - On an Island; 15 - The Girl in the Yellow Dress; 16 - Today; 17 - Sorrow (Pink Floyd); 18 - Run Like Hell (Pink Floyd). Set 3: 19 - Time (Pink Floyd); 20 - Breathe (Pink Floyd); 21 - Confortambly Numb (Pink Floyd). Links: David Gilmour transporta 40 mil para o fabuloso mundo do Pink Floyd: http://musica.uol.com.br/noticias/redacao/2015/12/12/david-gilmour-transporta-40-mil-para-o-mundo-fabuloso-do-pink-floyd.htm#fotoNav=24 Setlist do show de David Gilmour no primeiro show realizado em SP: http://www.setlist.fm/setlist/david-gilmour/2015/allianz-parque-sao-paulo-brazil-6bf2deba.html Sempre quis vir ao Brasil, diz Gilmour: http://rollingstone.uol.com.br/noticia/sempre-quis-vir-ao-brasil-diz-david-gilmour/#imagem0 Shows de Roger Waters no Brasil, da turnê 'The Wall': http://rollingstone.uol.com.br/noticia/em-porto-alegre-roger-waters-inicia-turne-brasileira/#imagem0 Solo de guitarra de 'Comfortambly Numb' é escolhido como o melhor de todos os tempos: http://www.cifraclubnews.com.br/noticias/10163-pink-floyd-e-eleito-o-vencedor-em-lista-de-solos-de-guitarra.html